Indicadores de estoque para acompanhar na gestão

Os indicadores de estoque são fundamentais para o bom andamento das operações de logística em uma empresa. Nesse sentido, deve ser feito um acompanhamento minucioso dessas métricas com o intuito de identificar deficiências e pontos para serem melhorados.

Com isso, a credibilidade do empreendimento aumenta, uma vez que o estoque é um aspecto crucial dentro de toda companhia.

Hoje vamos apresentar seis indicadores que fornecem um diagnóstico preciso e constante sobre a saúde do negócio quanto à logística.

 

1. On Shelf Availability (OSA).

Com base em fatores como a expectativa de vendas, o OSA é um indicador de estoque que representa a quantidade de uma determinada mercadoria disponível para venda. Além disso, é levado em conta se esse produto teve pouca ou muita saída dentro de um determinado período de tempo. 

 

2. Giro de estoque.

O giro de estoque considera se um produto é vendido com recorrência ou fica parado muito tempo no estoque. Uma vez identificado que uma mercadoria tem pouca saída, pode-se adotar meios de aumentar a vazão, como campanhas publicitárias e promoções.

 

3. Taxa de retorno.

Mesmo depois de um produto ser vendido, é possível que ele seja devolvido. Nessa perspectiva, a taxa de retorno é a divisão entre a quantidade de itens que voltaram ao estoque pelo número total de vendas. Ao final, esse quociente é multiplicado por 100 para resultar em um valor percentual. O processo envolvendo a devolução de mercadorias é conhecido por logística reversa.

 

4. Tempo de reposição.

Uma outra situação que pode acontecer é quando um produto está em falta no estoque. Nesse caso, é preciso saber em quanto tempo essa mercadoria será reposta. Logo, é importante que seja o menor possível a fim de não prejudicar o volume de vendas do negócio e causar a perda de receitas.

 

5. Perdas no estoque.

As perdas no estoque indicam o volume de mercadorias em excesso ou até mesmo que sofreram avarias ou foram furtadas. Acompanhar esse indicador é indispensável para identificar possíveis prejuízos relacionados à armazenagem. Vale ressaltar que, além de auxiliar no plano mestre de produção e na gestão da indústria, as soluções de software também são muito úteis na hora de gerenciar o estoque.

 

6. Ruptura de estoque.

Para entender esse indicador, consideramos o seguinte exemplo: se uma empresa vende um produto de dez marcas diferentes, sendo que cinco delas estão em falta no estoque, isso significa que o percentual de ruptura corresponde a 10%. Acompanhar essa métrica é de grande importância, uma vez que ajuda a assegurar que o item de uma determinada marca sempre estará disponível para o consumidor.

Para o negócio ter sucesso, acompanhar os indicadores de estoque é fundamental.

Por meio deles, o controle das mercadorias pode ser feito de forma mais efetiva, de modo que nunca faltem os itens que são demandados pelos consumidores. E já compreendemos que para tudo isso acontecer de forma ágil e assertiva, é necessário contar com o auxílio de um software que atenda as necessidades da empresa. Entre em contato com a gente, vamos conversar!