Custo da produção

Manter uma empresa com bons resultados envolve uma série de indicadores de desempenho, esses indicadores são essenciais para avaliar a lucratividade das ações e melhorar o processo de tomada de decisão.

O custo da produção indica os valores gastos em bens e serviços na produção de um determinado produto e o seu objetivo é elaborar um inventário disponível em um determinado período de produção. Uma empresa de sucesso deve visar análise de viabilidade econômica, servindo como indicativo para a escolha das melhores alternativas de produção dos seus produtos.

Com o mercado cada vez mais competitivo, reduzir os custos com a produção é uma das formas para reduzir os gastos, sendo assim, mais oportunidade para oferecer menores preços aos clientes.

Para a sobrevivência de uma empresa, os custos de produção são extremamente importantes como um indicativo dentro da análise de viabilidade econômica.

Para calcular os custos da produção deve-se considerar material a ser utilizado, mão de obra e custos gerais (energia elétrica, manutenção dos equipamentos, etc.).

 

Qual a diferença entre custos e despesas?

Os custos são os gastos ligados diretos a produção do produto ou execução do serviço (por exemplo: o valor gasto com a matéria prima).

Eles podem ser divididos em:

Custo Fixo: são os itens que não sofrem alteração de valor em caso de aumento ou diminuição da produção do item.

Custo Variável: são os itens que variam proporcionalmente de acordo com o nível de produção do item, depende necessariamente do volume produzido ou volume de vendas.

Custo Direto: é aquele que está diretamente ligado a produção do produto, linha de produto, centro de custo e/ou departamento.

Custo Indireto: é aquele que não é totalmente ligado ao produto, mas que participa da sua produção.

 

Já as despesas são os gastos ligados a manutenção da empresa (um exemplo seria o valor gasto com os salários da área administrativa, uma vez que esses não estão diretamente ligados a produção, mas fazem parte do processo/empresa).

Eles podem ser divididos em:

Despesa direta: são os gastos relacionados diretamente com o produto, por exemplo: o frete que será utilizado para a entrega nos distribuidores.

Despesa Indireta: são os gastos que não estão relacionados exclusivamente a fabricação do produto em questão.

Despesa Fixa: são gastos que não possuem nenhuma relação com o custo do produto, porém são necessários e permanecerão sempre os mesmos.

Despesa Variável: são gastos que não possuem relação com o custo do produto, mas podem ter variação (por exemplo: as comissões de vendas).

 

Como calcular os custos?

O cálculo do custo de produção é realizado da seguinte forma:

CP = MP + MO + CIF

CP: Custo de produção;

MP: Matéria-prima;

MO: Mão de obra;

CIF: Custo indireto de fabricação (energia elétrica, manutenção, depreciação, etc).

Por exemplo:

Custo de produção mensal = Matéria prima para produção dos produtos R$12.000 + Mão de obra do operador do maquinário R$2.500 + Custo indireto de fabricação R$ 5.200.

 

O custo de produção mensal será de R$19.700.

 

Para saber o custo de produção de cada produto divide-se o custo de produção mensal pela quantidade de itens produzidos no período.

Por exemplo:

Custo de produção mensal R$ 19.700 / 2.500 (produtos) = R$ 7,88 por item.

 

Para que serve esse cálculo?

Esse cálculo é um indicador importante que serve para avaliar a eficiência da produção, para que o gestor saiba quais são os custos de produção dos itens e verificar se os mesmos estão adequados ou não.

Podemos avaliar também a lucratividade através desse indicador, e verificar se a margem de lucro está ideal ou se os custos de produção estão muito altos.

Usar um sistema de gestão empresarial pode agilizar ainda mais os processos e cálculos, uma vez que um software permite analisar melhor as atividades, como: produção, fluxo de caixa, estoque, entre outros. Com um sistema ERP é possível verificar melhorias a serem feitas, minimizando o tempo gasto com essas ações.

O cálculo de custos de produção é fundamental para se tomar decisões estratégicas no seu negócio e melhorar a lucratividade. Um exemplo bem claro é saber qual valor máximo que se pode dar de desconto em um determinado produto, para que se consiga um diferencial competitivo dos concorrentes e ainda haja lucro. E já sabe, quando pensar em software entra em contato com a gente que podemos te auxiliar!