Cultura Organizacional

A cultura é um conjunto de padrões de comportamento, crenças e hábitos. Ou seja, ela nada mais é do que o resultado da convivência entre pessoas, e está relacionado à forma como elas interagem no ambiente. Sendo assim, a cultura é parte de tudo que está à nossa volta, incluindo o ambiente empresarial. É onde temos a cultura organizacional, que se refere a um conjunto de normas, diretrizes e hábitos praticados pela organização.

 

- Importância da cultura organizacional

Como vimos, a cultura organizacional está diretamente atrelada às crenças, hábitos e valores de uma empresa, e torná-la forte pode ser uma ótima vantagem competitiva. Além disso, ela está relacionada à ética e a moral que a organização possui, sendo responsável por guiar as decisões e preparar a empresa para o futuro. Isso porque o conceito é pautado não somente nas relações internas, mas também pelo modo como o atendimento a fornecedor e a clientes é realizado. Outro ponto a se destacar é a influência que ela exerce sobre o capital humano. A cultura organizacional proporciona um alinhamento moral e ético, baseado nas expectativas da empresa, facilitando a compreensão do colaborador. Dessa forma, a cultura organizacional pode incentivar o desenvolvimento individual de cada colaborador, promovendo uma competição saudável, apoiando os objetivos pessoais e incentivando o crescimento profissional de cada um. Tudo isso gera mais produtividade, auxiliando no crescimento da empresa.

 

Entre os principais benefícios oferecidos, se destacam os seguintes:

•             Fortalecimento da marca e da reputação da empresa

•             Aumento de produtividade;

•             Comunicação fluida e eficiente entre a equipe.

 

- Elementos presentes na cultura organizacional

A cultura organizacional de uma empresa é pensada a partir de pontos essenciais comuns. Entender esses elementos pode auxiliar na gestão estratégica, já que essa compreensão permite aprimorar as ações de comunicação interna, endomarketing e gestão de pessoas. Entre os elementos presentes na cultura organizacional se destacam os seguintes:

 

Valores

Diz respeito à base da empresa, os direcionamentos e o que se espera dos integrantes da empresa em termos de comportamento. Geralmente, os valores são instituídos pelos fundadores ou figuras de liderança.

Eles guiam as tomadas de decisões nos negócios e quando ficam claros para todos os colaboradores, auxiliam até em contratações certeiras, retenção de talentos e na redução do índice de turnover.

 

Comunicação

Sem comunicação uma empresa não funciona, por isso, ela deve ser clara e objetiva. Para que a cultura organizacional seja disseminada de forma correta, o papel do RH é fundamental. Cabe ao setor trabalhar para promover uma comunicação interna eficiente.

Sendo assim, o plano de comunicação deve englobar:

- O tipo de linguagem;

- Regras de comportamento e convivência;

- Os meios de comunicação entre os colaboradores.

Uma comunicação sólida pode influenciar diretamente na forma como os profissionais lidam com os clientes, além de gerar confiabilidade e credibilidade para a companhia.

 

Normas

São baseadas nos valores e devem ser apresentadas durante a seleção e recrutamento de novos colaboradores. Caso não haja concordância do candidato em relação às regras corporativas, não faz sentido seguir com a contratação. Por exemplo, a maioria das companhias possui um horário de trabalho fixado e o colaborador chega sempre atrasado dificilmente mudará esse comportamento, e isso gera transtornos futuros. Por isso, é importante que as normas fiquem claras já no primeiro contato com a empresa.

 

Heróis

Líderes, antigos gestores, embaixadores da marca, fundadores e até mesmo colaboradores antigos são as pessoas que representarão os valores, crenças e a trajetória da empresa. São vistos como heróis, pois se tornam um modelo de comportamento, sendo uma referência para os novos profissionais, além de ser uma fonte de inspiração para a marca.

 

Cerimônias

É um dos elementos da cultura organizacional bastante presente na rotina dos colaboradores. São atividades coletivas mais descontraídas, que podem acontecer periodicamente e carregam consigo a marca da empresa. São exemplos: festas de fim de ano, cerimônias de premiação ou reconhecimento, eventos internos para divulgação de resultados.

Essas ações melhoram o clima interno da empresa, pois geram mais interação e conexões entre os colaboradores.

 

Tabus

Esse elemento vem na contramão dos anteriores. Isso porque eles acontecem na empresa e repercutem na sociedade. São expressões preconceituosas, agressivas ou algum tipo de segregação que podem ser usadas na organização. É papel da empresa coibir esse tipo de ação.

 

A missão dos setores de departamento pessoal e RH é criar ações para combatê-los. Estimular a discussão, realizar workshops, palestras ou promover reuniões internas são formas de combater esse tipo de preconceito e conscientizar os integrantes da empresa.

Afinal, a organização é composta por pessoas com hábitos e vivências diferentes, e inevitavelmente em algum momento os comportamentos podem afetar o clima interno.

 

Tipos de cultura organizacional

São diferentes os tipos de cultura organizacional e sua empresa pode e deve buscar aquela que se encaixa melhor para ela. Confira os tipos a seguir!

 

- Cultura do poder

É quando o poder é centralizado, ou seja, quem está no comando possui maior influência e decisão. Esse tipo é baseado em uma hierarquia imposta dentro da organização, sendo assim, quanto mais longe do comando, menor o potencial de influência. A cultura de poder é muito comum em pequenas empresas, onde a figura do dono é forte e ele acumula diversas funções. Esse tipo de cultura limita o desenvolvimento e crescimento dos colaboradores, pois é uma gestão que trabalha com poucos braços.

 

- Cultura de papéis

É focada nos papéis desempenhados por cada membro da organização, o que também limita e impossibilita a flexibilidade de tarefas. Esta cultura se baseia em uma hierarquia bem definida, e cada profissional fica limitado a realizar apenas o que foi determinado pelos líderes. Apesar de estar tudo bem definido, o que facilita em partes o trabalho do colaborador, esse modelo não abre espaço para mudanças e inovações, o que pode afetar o crescimento da empresa.

 

- Cultura de pessoas

É um modelo de cultura centrado nos colaboradores, visando valorizá-los. Dessa forma, eles têm mais espaço para se desenvolverem e crescerem dentro e fora da organização. Ao aplicar a cultura de pessoas, a empresa abre espaço para os integrantes darem suas opiniões, o que pode contribuir para o crescimento da mesma. Esse modelo tende a atrair e reter talentos, proporcionando uma vantagem competitiva para a organização.

 

- Cultura de tarefas

É um modelo descentralizado, onde há profissionais específicos para exercer cada tarefa. Como tem o objetivo resolver problemas os projetos são designados a um colaborador que tenha as habilidades necessárias para solucionar o problema em questão. Essa cultura, quando aplicada a uma empresa, traz mais liberdade para o profissional buscar soluções de forma que ache adequado. Este modelo é positivo, pois faz com que os colaboradores se sintam valorizados, o que os motiva a entregar um bom trabalho.

 

Por fim, seja qual for a cultura organizacional de seu negócio, é nítido que um sistema de gestão é de suma importância para a organização da rotina diária dos gestores e de sua equipe. Contar com um SGE para centralizar as informações e poder consulta-las em tempo real, facilita a jornada de trabalho e tomada de decisões. A gente pode te ajudar, entre em contato com a Insoft e saiba mais.